Campanha da Solví incentiva a atuação da mulher em funções ocupadas por homens

Hora News

“Fazer História é Coisa de Mulher” mostra os desafios do público
feminino para ocupar postos e profissões dominados pelos homens

Para incentivar o público feminino no mês de comemoração do Dia Internacional da Mulher, o Grupo Solví – empresa comprometida em soluções de resíduos e valorização energética – criou uma campanha destinada às colaboradoras que trabalham em funções consideradas masculinas. A iniciativa “Fazer História é Coisa de Mulher” irá contar casos das funcionárias que enfrentaram esse desafio e quebraram paradigmas para contribuir com a companhia, como também com a sociedade.

A campanha, estruturada em uma parceria das áreas de Gestão de Pessoas e área de Comunicação & Marketing da Solví, contará as histórias das profissionais em breves relatos, que serão publicadas nas redes sociais e nos canais de comunicação. Para acompanhar os relatos das colaboradoras, basta acessar as redes sociais da empresa (clique aqui).

Essa ação abrangerá todas as empresas do Grupo Solví, com a finalidade de quebrar o estigma de que mulheres são mais frágeis ou têm papel secundário na comunidade e também no mercado de trabalho. Outro objetivo é exaltar as conquistas e descobertas femininas ao longo dos últimos anos, que fizeram a diferença no mundo.

A ação chega num momento em que o Grupo Solví tem intensificado as ações na companhia para buscar formas de garantir a diversidade de gêneros nos seus quadros de colaboradores. Esse tipo de trabalho está nos princípios de ESG (sigla em inglês para Ambiental, Social e Governança) que faz parte do DNA da companhia. Diante dessa conscientização dentro das empresas, a participação das mulheres no mercado de trabalho aumentou pelo quinto ano seguido.

As Estatísticas de Gênero divulgadas no início do mês pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que a presença feminina era de 54,5% em 2019. Houve um aumento de 2,9 pontos percentuais em relação a 2012 quando se iniciou a série histórica.

Como a campanha será feita
No total, a campanha contará a história de oito colaboradoras que atuam nas empresas do Grupo Solví nas profissões consideradas na sociedade como masculinas. Uma delas é a trajetória de Keslei Kiyoko Shimakura Biágio, encarregada Operacional de Laboratório na Unidade de Valorização Sustentável (UVS) da Essencis em Caieiras, que trabalha há quase nove anos nessa função.

“Ser mulher é ter forças e agir por intuição sem medo de errar. Minha profissão é um desafio constante e é sempre bom quando conseguimos alcançar nossas metas. Estar à frente de uma equipe tão engajada faz toda diferença”, contou Keslei.

Outra história a ser contada na campanha é a de Joselma Lopes, analista de Sistemas de Comunicação na UVS Solví. Há 15 anos nesse ramo, ela destaca que entrou nessa área quando a presença masculina ainda predominava no setor. Ela se formou em 2013 em Ciências da Computação em uma turma em que era a única mulher da classe.

“É muito importante ter mulheres na área de Tecnologia e Exatas. Atualmente eu fico muito feliz em ver as jovens se interessando por esse ramo”, comemora Joselma, que também se tornou professora no segmento.

A colaboradora da UVS São Bernardo Ambiental Marli de Freitas também terá sua trajetória contada na campanha. A funcionária atua como motorista de veículos pesados da unidade localizada na região do ABC Paulista.

“No início, foi muito difícil seguir meu sonho, inclusive custou meu casamento. Meu ex-marido não me apoiava porque queria ser motorista de caminhão. Desde criança, eu queria dirigir caminhões. Mas consegui com muita perseverança e hoje sou habilitada para conduzir qualquer caminhão em uma equipe onde todos são homens”, lembra Marli.

Deixe uma resposta

Next Post

As quedas são responsáveis pela diminuição da qualidade de vida dos idosos

O momento de reclusão provocada pela pandemia da COVID-19 simboliza um risco a mobilidade, fator que pode aumentar as quedas

Subscribe US Now

%d blogueiros gostam disto: