Benefícios da acupuntura na gravidez

Sabemos que o período de gravidez é delicado e cheio de mitos. Ao longo da gestação as grávidas apresentam sinais e sintomas bem característicos que normalmente atrapalham o bem estar da mulher. No início os enjoos e vômitos gravídicos são bem comuns e as poucas medicações que podem ser prescritas nem sempre solucionam esse desconforto. A partir desse primeiro sintoma a acupuntura já pode ser iniciada com intuito de alívio desses episódios. E para esclarecer dúvidas sobre acupuntura na gravidez, a Acupunturista e Esteta Dra. Sacha Gualberto conta alguns benefícios sobre.

Ela que é bacharela e licenciada em enfermagem pela Universidade Federal de Goiás (UFG), se especializou em Acupuntura e aprimorou suas técnicas nas Universidade Internacional de Xiamen (UIX) na China, começa dizendo que além de não ser prejudicial, as técnicas da Medicina Tradicional Chinesa (MTC) têm várias outras indicações no período gestacional, como: amenizar os desequilíbrios emocionais devido ao aumento hormonal (ansiedade, irritabilidade, medo); combate das dores de cabeça que são muito comuns nessa fase; melhora o sono; alivia dores lombares e ciatalgias; entre outras queixas. “O método também ajuda na preparação dessa gestante para o parto e auxilia no controle de doenças como diabetes e hipotireoidismo”, complementa.

“São inúmeras indicações e o melhor de tudo isso é que existem poucas contraindicações”, conta Sacha. Ela alerta que alguns pontos devem ser evitados no início da gestação por estimularem a contração uterina, mas esses mesmos pontos podem ser utilizados para indução do trabalho de parto mais à frente. “Uma das principais reclamações das mães que chegam até mim são: Dra. estou super inchada, minhas roupas não cabem em mim e eu estou me sentindo feia. Sintomas clássicos de baixa autoestima e retenção de líquidos que é bem comum no período gestacional”.

A acupunturista e também especialista em Saúde Estética, explica: “É importante aliviar esse sintoma de inchaço e acupuntura associada a um excelente procedimento estético que eu considero fundamental a toda gestante do início ao final da gestação como drenagem linfática, trazem ótimos resultados”. Mas ela lembra também que é ainda mais importante cuidar do interior dessa mulher, despertando a beleza interna que existe nela. “Como eu sempre digo, o exterior é um reflexo do nosso interior!”

Sabe-se que a gestação é um período de muitas transformações para nova mãe e a maioria dessas novidades não são bem-vindas. As estrias aparecem, a mulher ganha uns quilos a mais, os seios incham, e essas e outras tantas mudanças indesejadas, prejudicam a autoestima da mulher. “Aumentar essa autoestima durante a gravidez não é tão simples, mas existem algumas formas de facilitar o processo de aceitação e agendar uma consulta com um especialista em Saúde Estética pode fazer toda diferença”, conta Sacha.

Ela segue dando algumas dicas que podem ajudar essas mães a passar por esse momento com mais saúde e leveza. “Tenha sempre uma alimentação equilibrada; invista no cuidado consigo mesma; pratique uma atividade física; mantenha o corpo hidratado; tenha uma conversa franca com seu parceiro sobre seus sentimentos; e procure entender o momento pelo qual você está passando”. Sacha complementa explicando que os bons cuidados durante toda essa nova fase da mulher podem evitar a depressão pós parto, que é algo extremamente comum nas puérperas.

“Na MTC, o útero é um órgão que pertence ao sistema Yang e o trabalho de parto é o resultado do movimento livre do Qi, da prevalência do Yang sobre o Yin e da abertura das portas do útero. O atraso na entrada do trabalho de parto resulta da ausência e/ou estagnação do Qi e Xue, que impedem o movimento descendente do feto”, esclarece a acupunturista.  No Trabalho de parto, a acupuntura estimula as contrações do útero, libertando maiores quantidades de ocitocina e proporciona maior limiar à dor.

As contrações uterinas mais vigorosas encontram-se associadas à estimulação de alguns pontos, e de acordo com estudos realizados pelos chinês CUI e o europeu BETTS, algumas vantagens da aplicação da técnica são: redução do tempo médio do trabalho de parto (varia entre 10 a 29 horas); diminuição da tensão psicológica no momento do parto; menor número de falhas no processo de indução do trabalho de parto (16,6%); aumento da velocidade de maturação cervical (dilatação do colo uterino); por parte da parturiente melhor tolerância da dor; diminuição e ou retardação da quantidade de analgesia epidural administrada (31%); menor possibilidade de ter que recorrer à assistência instrumentalizada no parto (14%); e baixo risco de hiperestimulação uterina.

Tornar-se mãe é um ritual de transição e envolve uma reorganização interna, ruptura de vínculos e de papéis, podendo resultar em quadros de depressão puerperal, sendo o puerpério um período no qual a autoconfiança da mulher encontra-se em crise. “Em todas as fases da maternidade onde é necessário evitar ao máximo a ingestão de medicamentos alopáticos a acupuntura ganha frente. No pós parto a acupuntura se mostra também um excelente recurso para recuperação da mãe, fortalecendo a saúde nesse momento tão importante da relação mãe-filho principalmente durante o aleitamento”, enfatiza.

Sacha confirma que se os cuidados de bem-estar forem realizados durante os 9 meses da gestação a construção de um equilíbrio emocional será notória. “As chances de aumentarmos o auto amor da mãe proporcionará autoconfiança e resultará em amor que transborda na relação mãe-filho e qualidade de vida para toda família”. A OMS encontra-se cada vez mais atenta à acupuntura e nesse sentido tem vindo a desenvolver medidas de apoio aos países que a desejarem incorporar nos seus sistemas de saúde. “De acordo com as pesquisas efetuadas, a acupuntura deve ser encorajada, pois esta tende a ser mais segura, eficaz e econômica”, finaliza a acupunturista Sacha Gualberto.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: