Anúncios
12 de julho de 2020

Hora news

Seu site de notícias

“Pra quem eu vou pedir ajuda?”

A passagem de ônibus em Goiânia e região metropolitana está próximo de sofrer o seu reajuste anual. Após os cálculos da Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo (CMTC) que apontou ser necessário um aumento de 4,6% no valor da tarifa, a Agência Goiana de Regulação (AGR) referendou o reajuste. Com o reajuste o valor da passagem de ônibus na capital e região metropolitana vai saltar de R$ 4,30 para R$ 4,50.

No entanto o que voltamos a ver é que sempre as empresas de ônibus são as beneficiadas, o povo em questão jamais tem benefícios a seu favor. Vale ressaltar que são poucos os que conhecem a realidade do transporte coletivo da capital. Há governantes que sequer estiveram dentro de um ônibus para conhecer a qualidade ou o que passa o cidadão dentro deles.

Uma das frases marcantes referente a este aumento, foi do atual prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB) que afirmou o seguinte “é preciso conceder esse aumento, para só então cobrar das empresas as melhorias”! O detalhe que chama a atenção é que o chefe do executivo voltou ao Paço Municipal com a promessa de resolver o problema do transporte coletivo da capital, o que até agora não foi feito.

O engraçado é que falta ônibus para atender a população goiana, a demora é grande seja nos pontos de ônibus ou nos próprios terminais da capital. Além da demora, os veículos em sua maior parte são sucateados, faz tempo que não há uma renovação da frota e a Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo (CDTC) apenas se reúne para determinar o aumento da passagem, o encontro em momento algum é feito para discutir ou cobrar das empresas a melhora do transporte coletivo.

Na tarde desta quinta-feira (20) este que vos fala que sofre com o transporte coletivo, conseguiu chegar em casa, após entrar em um ônibus no Terminal da Praça da Bíblia, no caminho até a residência, passando por outros terminais, o que estava com a situação mais complicada era o Terminal da Praça A, pois a plataforma estava lotada e o povo indignado.

Em uma breve conversa, disse para que o povo brigasse por seus direitos, que fizessem uma manifestação e cobrassem mais ônibus, porém a descrença da população é tão grande que a resposta que uma senhora deu foi a seguinte “vou recorrer para quem?”. A fala mostra que nem o povo que sofre todo dia com o transporte coletivo, acredita que seja capaz fazer algo para reverter, pois o pedido deles jamais é atendido, sempre o que prevalece é a vontade das empresas de aumentar o valor do transporte coletivo.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: