Suspeito invade casa gritando “polícia” e mata morador dentro da residência

Helio Lemes

Caso é investigado pelo GIH de Aparecida de Goiânia

Um homem foi morto a tiros na noite do último domingo (9/2) dentro de sua residência, após o suspeito invadir sua casa sob os gritos de “polícia, perdeu”, em Aparecida de Goiânia, região metropolitana da capital.

O caso foi registrado pela equipe plantonista do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Aparecida de Goiânia, por volta das 23h de domingo. Após receber informações sobre o crime, a equipe esteve no local, onde encontrou a vítima caída na área externa na residência com várias marcas de tiros.

De acordo com a polícia a vítima morava em um barracão no fundo da casa da mãe, e na noite do último domingo, estava em sua residência bebendo com um amigo do trabalho, quando os dois ouviram alguém forçando o portão dos fundos.

Em determinado momento um homem moreno e forte, usando um boné conseguiu arrombar o portão dos fundos e a vítima juntamente com a testemunha correram para o barracão da mãe do rapaz assassinado, enquanto o suspeito correu atrás deles gritando “Polícia” e para eles pararem se não iria atirar, como a vítima e a testemunha não obedeceram, o suspeito atirou contra os dois e alvejou o dono da residência com vários tiros.

Testemunha entrou para um dos quartos e se escondeu embaixo de uma cama

A testemunha por sua vez não foi atingida pelos disparos, pois entrou para dentro de um dos quartos e se escondeu embaixo de uma cama. De acordo com a polícia, a vítima foi atingida na face, no ombro direito, de raspão no braço e esquerdo e na região genital.

A bala que atingiu a região genital da vítima ainda ficou alojada em sua carteira e foi recolhida pela Perícia Criminal. Conforme as informações divulgadas, além do suspeito de invadir a casa, o comparsa ficou do outro lado do portão aguardando a saída do companheiro.

A polícia afirmou também que após executar a vítima, o suspeito que invadiu a residência, levou uma televisão da sala da mãe do rapaz morto, a qual a mãe não soube identificar se era de 42 polegadas, apenas a marca do aparelho.

O local foi isolado pela Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) até a chegada do Serviço de Atendimento Móvel de Urgências (Samu), que apenas atestou o óbito e o Instituto Médico Legal (IML) que removeu o corpo do local. O caso é investigado pelo GIH de Aparecida de Goiânia e até o momento não há informações sobre a motivação e autoria do crime.

Deixe uma resposta

Next Post

Paciente sente reviver no HMAP

Por Julianna Adornelas Uma festa surpresa para comemorar os 80 anos do paciente Sebastião Luiz Ribeiro foi preparada pela equipe multidisciplinar do Hospital Municipal de Aparecida de Goiânia (HMAP) em uma pequena festa durante o horário de visitas na tarde dessa terça-feira. “O objetivo foi não deixar passar em branco […]

Subscribe US Now

%d blogueiros gostam disto: