Construtora faz mutirão em bairros de Goiânia para combater Aedes Aegypti

Os dados da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás apontam para uma queda de casos notificados de dengue nas três primeiras semanas de janeiro em comparação com o mesmo período do ano passado. A redução de 59,2% nos números de notificações da doença traçam uma perspectiva positiva para este ano. Apesar dessa queda, mais de 4.157 casos foram notificados nas quatro primeiras semanas do ano. Goiânia e Aparecida de Goiânia lideram o ranking de notificações com 775 e 666 casos, respectivamente.

Em 2020, no Estado de Goiás  foram confirmados 1794 casos de dengue com quatro mortes suspeitas nas cidades de Catalão, Inhumas e Goiânia. A queda nos números de notificações da doença contrastam com os altos números de 2019, quando foram registrados mais de 1,5 milhão de casos de dengue no Brasil com 782 mortes, provocando um aumento de 488% em relação a 2018, segundo dados do Ministério da Saúde.

Para evitar que os números voltem a crescer, alguns segmentos da sociedade iniciaram o combate ao mosquito Aedes Aegypti, vetor da doença. Uma das ações acontecerá na próxima quarta-feira (5), a partir das 8 horas, com um mutirão promovido pela MRV em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde no Parque Tremendão e no Setor Morada do Sol, em Goiânia. A iniciativa conta com o envolvimento de engenheiros, operários, coordenadores, analistas ambientais e técnicos de segurança do trabalho da construtora. A secretaria deve disponibilizar dez agentes de saúde, que visitarão as casas dos bairros, além de duas caminhonetes para recolher pneus e materiais que possam acumular água.

De acordo com o diretor de obras da MRV, Raphael Paiva, a ação vai envolver a comunidade da região em um mutirão com o objetivo de conscientizar os moradores sobre a importância do combate aos criadouros do mosquito. “Os automóveis vão passar recolhendo pneus e resíduos que possam acumular água e contaremos com a parceria da secretaria de saúde, por meio dos agentes de saúde, para levar informações aos moradores do bairro”, explica Raphael Paiva.

O diretor ainda afirmou que a ação, ao envolver a iniciativa privada, o poder público e a sociedade, busca garantir o bem-estar da comunidade. “A iniciativa é importante porque envolve toda a comunidade para um bem em comum, que é garantir a saúde de quem morar ao nosso redor. É algo que a MRV, ao longo de seus 40 anos, tem demonstrado ao transformar não apenas a realidade das pessoas que moram em seus empreendimentos, mas também daqueles que estão em seu entorno”, destaca Raphael.

Mosquito

Além da dengue, o Aedes Aegypti também é o vetor da febre amarela, febre zika e da chikungunya. Entre os sintomas da chikungunya se destacam dor de cabeça, febre e manchas vermelhas pela pele. Praticamente com os mesmos sintomas, o paciente com dengue ainda pode apresentar dores atrás dos olhos, erupção e coceira na pele, fraqueza e dores nas articulações.

Em 2019, os casos de dengue aumentaram sete vezes, alcançando uma média de 6.074 infecções por dia. Goiás foi um dos estados com o maior número de casos, com 108.079 ocorrências, atrás apenas de Minas Gerais (471.165) e São Paulo (437.165).

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: